Lisboa volta a receber fórum de excelência empresarial BEFA com a participação da Câmara de Comércio e Industria Luso-Colombiana

Bradley J. Sugars acredita no potencial mundial das empresas portuguesas.

Lisboa, 7 de novembro de 2016 – Centenas de empresários portugueses marcaram presença na segunda edição do Business Excellence Fórum & Awards (BEFA), no Hotel Marriott, em Lisboa, para ouvir os segredos de negócios e sucesso de vários oradores mundiais.
Bradley J. Sugars, guru de negócios e presidente da ActionCOACH Internacional, subiu ao palco três vezes e falou sobre os temas “Como tirar o máximo partido do seu negócio”, “Como garantir o caminho para a liberdade financeira” e no último dia apresentou “Como ter um negócio que funciona sem si”.
O coach australiano reforçou a ideia de que um dos grandes desafios dos empresários portugueses passa por ter uma grande visão e criar grandes empresas a nível internacional: “Pensem global! Muitos empresários portugueses têm capacidade para criar grandes negócios a nível mundial, mas apenas querem ficar em Portugal. Acredito que há espaço e possibilidade para os empresários portugueses fazerem coisas extraordinárias lá fora.”
Detalhadamente, Brad Sugars falou sobre como criar um negócio que crie riqueza e como tirar maior partido da própria empresa. Explicou ainda passo a passo como criar um negócio que funcione por si só e como saber delegar tarefas a pessoas qualificadas dentro das equipas.
“Por isso, temos de perceber como contruímos as pessoas na nossa equipa, como construímos o marketing, como construir os sistemas e assim fazer do negócio a sua própria entidade operacional. Um negócio que funciona sem si.”
Shweta Jhajharia, business coach de sucesso no Reino Unido e Paul Dunn, empresário australiano orador TEDx e um dos fundadores da empresa Buy1Give1, foram os primeiros oradores dos BEFA na manhã de 4 de novembro.
Sob o mote “Como promover a integridade na sua equipa”, Shweta Jhajharia defendeu a necessidade de haver “negócios rentáveis que fluem sem o seu líder”.
Lembrando que “muitos empresários quando começam sonham em grande”, a coach de negócios defendeu a necessidade de os empresários “compreenderem os números dos negócios” para serem bem-sucedidos.
Shweta considerou que é preciso saber contratar “trabalhadores de topo”, saber delegar e deixou ainda o seu código de produtividade: força na liderança, objetivos definidos, união da equipa, rota, compromisso e, por fim, empreender.
Já Paul Dunn, que em 2007 fundou a empresa Buy1Give1, cujo conceito é fazer negócios com um propósito que tenha impacto no mundo, falou sobre a necessidade de criar negócios que façam a diferença.
Para Paul Dunn, o sucesso nos negócios está em implementar boas ideias e “perceber porque se está a fazer este negócio”
“Quando se sabe o porquê, aquilo que fazemos tem mais impacto. Quando articulamos claramente o porquê, o que fazemos torna-se muito mais atrativo”, sustentou, defendendo que a missão de cada negócio deve ser um ponto central do mesmo e aparecer, por exemplo, na homepage do seu site.
Carla Carvalho Dias, especialista em cultura de serviço ao cliente, Rogério Carapuça, presidente da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC) e Richard Maloney, fundador da empresa australiana Engage & Grow, completaram o último dia dos Business Excellence Fórum & Awards.
Carla Carvalho Dias apresentou uma sessão animada sobre “Cultura ao serviço do cliente”, na qual explicou o conceito original de “swerve” – Smile & Serve (sorria e sirva).
“Vim desmistificar a ideia de que servir é igual a subserviência. Muito pelo contrário, servir é um ato nobre e servir só já não basta. Servir de uma forma especial é uma nova dimensão dos negócios a que os clientes estão atentos e que precisam de ter.”
Carla acrescentou que a solução para ter melhor serviço, é ser melhor cliente. Para a especialista, a ideia da cultura de serviço necessita de ser revisitada: “É francamente redutor pensar que uma cultura de serviço passa por treinar quem está a atender o telefone ou o público.”
“Uma cultura de serviço constrói-se dentro das organizações onde a própria organização pratica as ações entre si, feitas de uma forma especial, ou seja, de forma top service”, defendeu.
Para Rogério Carapuça, presidente da APDC, ninguém está livre da “disrupção digital” que transforma quase todos os setores, de alguma forma.
“O mundo está a ficar mais diferente e isso é uma corrida de grande velocidade sem paralelo na história da humanidade. Hoje há negócios que crescem, desenvolvem-se e tornam-se os maiores negócios do mundo em cinco, dez anos e isso nunca aconteceu.”
O ex-chairman da Novabase mencionou ainda o peso do fator humano dentro das empresas e explica que “ter produtividade não é trabalhar muitas horas”, mas sobretudo tratar de fatores humanos, fatores ligados à emoção e não apenas à visão.
“Estes são os fatores que fazem com que as empresas, grandes equipas e grandes indivíduos tenham uma performance melhor.”
Richard Maloney, fundador da empresa australiana de liderança Engage & Grow, falou sobre “Como transformar todos os seus colaboradores em centros de lucro para o seu negócio, e fazer com que todos gostem do que fazem”. Partilhou a sua experiência de empresas à beira da falência e de como ajudou a recuperar a motivação por parte dos seus colaboradores e reavivou essas mesmas empresas.
Maloney identificou que dentro das empresas existem três tipos de comportamento por parte das pessoas: as ‘altamente motivadas’ que fazem mais do que esperado; as ‘desmotivadas’, que fazem o que é esperado; e as ‘altamente desmotivadas’ que não fazem o suficiente para o crescimento da empresa.
O fundador da Engage and Grow identificou ainda três tipos de personalidades dentro das organizações: “Quando entramos dentro de uma empresa, entramos como ‘ovelhas’, ou seja, temos uma mentalidade de rebanho e procuramos criar ligações. Depois, temos as pessoas ‘eu’ que, quando há em grande massa dentro das empresas, fazem com que estas não cresçam.”
“O que queremos nas empresas são pessoas ‘nós’, pessoas que se envolvem e dedicam à empresa e que estão motivadas.”
O Business Excellence Forum & Awards (BEFA) é organizado pela ActionCOACH Portugal, estando já na sua segunda edição. Para o ano, o BEFA decorre nos dias 10 e 11 de novembro e trarão a Portugal a business coach indonésia Cynthia Wihardja, o especialista britânico em investimento imobiliário e autor do best-seller The 3+1 Plan, Brett Alegre-Wood, o australiano Travis Bell, orador e autor do blog The Bucket List Guy.
Business Excellence Fórum & Awards, Lisboa https://youtu.be/GwKu2cRATdw

Sobre Business Excellence Fórum & Awards: O Business Excellence Forum & Awards (BEFA) é um evento cujo objetivo passa por ajudar os empresários das PME portuguesas a fazer crescer as suas empresas. Procura também celebrar e reconhecer os feitos, realizações e contribuições dos empresários portugueses. Nos BEFA também há a componente de workshop para formar, educar e treinar empresários, as suas equipas, fornecedores e clientes em estratégias eficazes para os participantes. O formato é informal, mas bastante intensivo.
Os BEFA contam com um painel de oradores reconhecidos internacionalmente sobre aumento de vendas, melhor gestão de tesouraria e rentabilidade, mas também sobre liderança, gestão de equipas, sistematização do negócio e o desenho de modelos de negócio que garantam sucesso.