Portugal, Observador da Aliança do Pacífico

Perto de completar um ano de existência, a Aliança do Pacífico — bloco económico formado por México, Colômbia, Peru e Chile — admitiu Portugal como país observador.

A candidatura tinha sido apresentada no início de 2013 pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, após uma reunião bilateral com a Ministra de Relações Exteriores, Maria Angela Houlguin. O processo teve um forte empurrão diplomático durante as recentes visitas de Cavaco Silva à Colômbia e ao Peru, em Abril.

A decisão foi tomada por unanimidade na VII Cimeira da Aliança do Pacífico, que decorreu em Cali, na Colômbia, país que assume a presidência temporária do grupo.

Alguns dos resultados desta cimeira foram: a eliminação de vistos entre a Colômbia, o Chile, o México e o Peru; a instalação de uma embaixada partilhada em Gana; assinatura de acordos com concessão de mais de 100 bolsas de estudos para estudantes; a abertura de escritórios comerciais conjuntos; e o compromisso de reduzirem em 90% as barreiras alfandegárias entre si.
A Aliança do Pacífico é considerada a oitava maior economia à escala global e os quatro países que a integram representam um mercado de 206 milhões de habitantes, gerando um produto interno bruto (PIB) de 1,7 biliões de dólares, o equivalente a 34% de todo o PIB da América Latina. As estimativas para 2013 apontam para um crescimento médio dos quatro países de 4,7%, enquanto toda a região crescerá 3,8%.

Para mais informações: Link1 ; Link2; Link3